Você sabe o que é glaucoma? Veja dicas para descobrir

O glaucoma é um problema que causa alguns danos nos olhos e se trata de algo progressivo. Dessa forma, é importante conhecer o problema e entender de fato o que ele poderá causar com o tempo.

Assim, será possível trata-lo e evitar que essa condição se agrave trazendo ainda mais dificuldades a pessoa. Então vamos saber mais sobre o assunto e verificar como esse tipo de problema ocasiona.

Definição do problema chamado de glaucoma

O glaucoma é um tipo de problema que tem a sua causa gerada por uma lesão no nervo óptico. Dessa maneira, o mesmo é um dos responsáveis pela transmissão do que visualizamos.

Assim, um dos motivos que mais ocorrem é devido ao aumento na pressão intra ocular (PIO). Nesse sentido, o líquido que se acumula na frente do olho causa uma pressão nos olhos e danifica o nervo.

De fato, esse tipo de doença é progressiva e tende a ir avançando com o passar do tempo. Caso o glaucoma não seja corretamente tratado, ele causará perda da visão periférica e posteriormente trará a cegueira.

Quais são os tipos de glaucoma que existem?

Ao todo existem 4 tipos de glaucoma e cada um deles apresenta características específicas. Em alguns casos são utilizados o termo ângulo que especifica a drenagem realizada dentro do olho.

Enquanto que o mesmo efetua o controle desse fluxo de saída desse fluído aquoso produzido no interior dos olhos.

O glaucoma de ângulo fechado

Esse tipo de problema também poderá ser chamado de glaucoma estreito ou mesmo de crônico. Pois, ele se origina devido a genética ou mesmo através de algum trauma ocular obtido pela pessoa.

Nesse sentido, ele se origina quando há um bloqueio na saída do líquido aquoso. Além disso, toda a drenagem fica mais estreita entre a córnea e a íris da pessoa.

Consequentemente isso gerará uma maior pressão no olho, trazendo certas dificuldades para a pessoa. Os sintomas desse tipo de glaucoma são os seguintes:

  • Olhos doloridos
  • Dores de cabeça
  • Vômito
  • Náusea
  • Visualizar círculos em torno das luzes
  • Perda na visão

Então, o ideal é buscar um oftalmologista para que esse problema não venha a se agravar e traga prejuízos.

O glaucoma de ângulo aberto

É bem mais comum e também é um tipo de problema que ocorre de forma mais gradual. Dessa forma, ocorre devido ao fluido aquoso que drena muito lentamente e gera aumento da pressão nos olhos.

Consequentemente esse tipo de glaucoma irá gerar um certo dano no nervo óptico que será definitivo. Além disso, se a pessoa tiver nervos que sejam mais sensíveis o problema possivelmente será maior.

De fato, a causa principal desse fator é o envelhecimento que o canal que atua na drenagem apresentará. Contudo, eles tendem a ser silenciosos e posteriormente a pessoa só terá a visão central.

O glaucoma congênito

Por certo, esse glaucoma ocorre pelo fato da pessoa já ter nascido com a doença e são raros. Para perceber se esse é o problema apresentado é necessário analisar alguns fatores, que são:

  • Olhos brancos
  • Nebulosidade
  • Alargamento
  • Saliência

Caso perceba essas alterações busque um oftalmologista que possa lhe orientar corretamente.

O glaucoma secundário

Por fim, temos o glaucoma secundário que se origina através de outras doenças. Com isso há uma reflexão em toda a drenagem dos olhos (líquidos) e o problema então pode surgir.

Além disso, os corticoides em excesso podem também vir a serem o fator que desencadeiam esse problema.

Quais são os principais sintomas do glaucoma?

Em sua grande maioria, o glaucoma não chega a causar nenhum tipo de dor, mas há uma perda na visão. Dessa maneira, muitas vezes só é percebida quando o nervo óptico esteja bastante danificado.

Assim, alguns dos sintomas que podem ocorrer são os seguintes:

  • Embaçamento na visão
  • Círculos ao redor da luz
  • Dores nos olhos
  • Náuseas
  • Vômitos

Enquanto que no glaucoma congênito existem mais alguns sintomas que são:

  • Olhos brancos
  • Maior sensibilidade a luz
  • Olhos lacrimejando

O glaucoma possui cura?

Não. O glaucoma é um problema que não possui uma solução específica para resolver essa questão. Entretanto, é possível tratar e controlar essa pressão nos olhos da pessoa e pode-se evitar a perda na visão.

De fato, realizar consultas periódicas ao oftalmologista costuma ser a maneira mais fácil de identificar e controlar o problema. Pois, o mesmo poderá auxiliar o paciente e trazer um diagnóstico mais preciso.

Caso seja necessário uma cirurgia quanto mais cedo ela for feita melhor será para o paciente. E também ajudará a evitar que a pessoa possa vir a perder a visão posteriormente.

Tipos de tratamentos

Tudo depende do tipo de glaucoma apresentado e da gravidade que o mesmo está demonstrando. Veja abaixo o tipo do problema e a possível solução para cada um deles:

  • Aberto: colírios (prescrição médica) ou mesmo laser
  • Fechado: colírios, medicamentos ou pílulas, podendo ser necessário uma cirurgia
  • Congênito: cirurgia
  • Secundário: colírio que ajuda a diminuir a pressão nos olhos ou cirurgia

Quais pessoas poderão ter o glaucoma?

De fato, o problema em questão geralmente atinge mais os adultos que tenham mais de 40 anos. Embora possa ocorrer em pessoas das mais diversas idades e alguns fatores de risco podem levar a isso.

Confira a lista de fatores possíveis para o glaucoma:

  • Idade acima dos 40 anos
  • Histórico familiar
  • Ser diabético
  • Traumas oculares
  • Ter tomado algum medicamento corticoide

O glaucoma pode trazer cegueira?

Caso a doença não seja identificada por ser silenciosa, existe sim a possibilidade de cegueira. O uso de certos colírios pode ser de grande valia para que a pressão ocular seja controlada.

Assim, a visita a um oftalmologista é imprescindível para uma melhor orientação quanto ao problema.

Quais são os tipos de exames para o glaucoma?

São realizados alguns tipos de exames para o glaucoma a fim de detectá-lo de maneira mais precisa. Confira os principais exames que podem ser feitos:

  • Tonometria: verifica a pressão nos olhos
  • Oftalmoscopia: serve para avaliar o nervo óptico
  • Perimetria: como está o campo visual da pessoa
  • Gonioscopia: identificar o tipo de glaucoma presente
  • Paquimetria: verifica a espessura da sua córnea

Prevenção da doença

O diagnóstico feito com precocidade é a melhor maneira de evitar problemas relacionados a essa doença ocular. Portanto, busque um oftalmologista e peça orientação ao mesmo para identificar o problema.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *